Home » Curiosidades » 4 Estágios da Competência em Idiomas

4 Estágios da Competência em Idiomas

 

Erros são práticas tão comuns quanto frustrantes no início da aprendizagem em uma nova língua. Ironicamente, eles são vitais no processo de aprendizagem e são solucionados após muita prática em busca dos acertos. Pense em todas as coisas que você sabe fazer hoje: sem dúvida, houve muitos erros antes dos acertos. Ninguém aprendeu a jogar futebol primeiro lendo um manual e depois deu passes com perfeição, dribles precisos e chutes certeiros sem chance para o goleiro.

Para entender melhor o processo de aprendizagem é importante entender os 4 Estágios da Competência. Um modelo que relaciona as etapas de progresso da total incompetência até o domínio completo de uma habilidade. Foi criado nos anos 1970 por Noel Bürch da Gordon Training Internacional.

O idioma é formado por um conjunto de habilidades. Sendo assim, este modelo pode ser aplicado na língua como um todo, ou para cada competência individual. Por exemplo, vocabulários, regras gramaticais, aspectos de pronúncia, etc.

 

Os 4 Estágios de Competência

Toda competência deve passar por cada um dos 4 estágios: incompetência inconsciente, incompetência consciente, competência consciente e competência inconsciente.

 

4 Etapas da Competencia

 

1º Estágio: Incompetência Inconsciente

Não sabemos o que não sabemos. Somos inaptos e inconscientes disto.*

É quando você ainda não tomou conhecimento da habilidade a ser aprendida ou não dá importância a ela. Você deve reconhecer sua incompetência e o valor da nova habilidade para poder seguir para o próximo estágio.

O Marquinho, meu filho, adora andar de patins. O seu estágio da incompetência inconsciente foi antes de ter visto um par de patins pela primeira vez; ele não sabia patinar e nem sequer sabia que esta habilidade existia.

Um estudante de línguas começa não sabendo que idioma vai aprender, significado das palavras, como elas são pronunciadas, como estruturá-las, etc. Mesmo estudantes avançados se encontrarão neste estágio em características mais avançadas da língua.

 

2º Estágio: Incompetência Consciente

Sabemos o que não sabemos. Começamos a aprender neste nível, onde reconhecemos nossa deficiência em uma habilidade e o quanto precisamos aprender.

Você ainda não sabe executar uma habilidade, mas já reconhece sua deficiência e está disposto a aprender. Este é o estágio onde a aprendizagem começa e também o mais difícil. Você pode se sentir sobrecarregado com as dificuldades que devem ser enfrentadas e com a quantidades de sub-habilidades que podem surgir. Cometer muitos erros antes de conseguir fazer o certo é normal e importante no processo de aprendizado, apesar de ser um pouco frustrante. Muitos desistem neste estágio.

O Marquinho chegou neste estágio na patinação ao 11 anos; estávamos passeando na orla de Belém e ele se interessou em alugar um par de patins. Eu precisava segurá-lo, pois ele não conseguia sequer ficar em pé por conta própria. Ele descobriu que precisava aprender manter os joelhos flexionados para ter equilíbrio, como sair do lugar, frear, fazer curva, etc. Ou seja, havia uma série de sub-habilidades de que antes ele não fazia ideia.

Aqui, o estudante de línguas já decidiu que idioma quer aprender e procura compreender os seus diversos aspectos. Começa a entender os significados de algumas palavras, estrutura das frases, ou percebe que há novos sons que não conhecia, mas ainda não consegue reproduzi-los. Uma vez capaz de compreender, ele deve aprender, por tentativa e erro, a executar a habilidade linguística corretamente.

 

3º Estágio: Competência Consciente

Experimentamos e praticamos a habilidade. Sabemos agora como executar a habilidade de forma correta, mas precisamos pensar e nos esforçar para fazê-lo.

É mais fácil que o estágio anterior, pois passa a ser menos desconfortável. Você já consegue executar a habilidade corretamente, mas de forma lenta e com bastante concentração para não errar. As pessoas costumam perceber que você está se esforçando para executar a habilidade. É menos frustrante, podendo até ser divertido, pois a habilidade já mostra resultados.

Após alguns dias de prática e várias quedas, o Marquinho já não precisava mais da minha ajuda para patinar. Ele já conseguia patinar em uma velocidade moderada, mas ainda era um pouco desajeitado para frear e fazia curvas com bastante atenção, senão levava uma bela queda. A patinação era cada vez menos frustrante e mais divertida.

O estudante de línguas já consegue se expressar e ser compreendido, mas precisa se concentrar para usar as palavras no contexto correto, acertar conjugação dos verbos e pronunciar os sons corretamente. Ele ainda pensa muito em português e traduz mentalmente antes de falar. A pessoa que ouve percebe esse esforço (principalmente se for um nativo do idioma), pois ainda não é natural e falta fluidez.

 

4º Estágio: Competência Inconsciente

Se continuamos a praticar e aplicar a habilidade, eventualmente chegaremos a um estágio onde ela se tornará mais fácil, ou até natural.

Você chega neste estágio apenas com muita prática, pois “a prática leva a perfeição”. Você passa a dominar a habilidade completamente, conseguindo executá-la facilmente, sem necessidade de esforço e concentração. Passa a fazer parte de sua natureza. Como resultado, ela pode ser praticada ao mesmo tempo que executa outra tarefa.

Para o Marquinho, a patinação passou a ser algo tão natural como andar. Ele patina rápido, freia bruscamente, pula, anda de costas e ainda é capaz de tomar sorvete e tirar uma selfie ao mesmo tempo. Ficou tão prazeroso que ele quer patinar até quando está dentro de casa.

Esta é a etapa da fluência do estudante de línguas. Ele consegue falar com fluidez, seus pensamentos são feitos no idioma novo sem precisar traduzir e se sente quase tão confortável quanto com português. Após tanta prática, ele não precisa mais pensar se está ou não aplicando a pronúncia certa e nem conscientemente escolhendo a conjugação adequada do verbo.

 

Concluindo

Saber dos Estágios da Competência nos ajuda a ter mais paciência para aprender, pois nos ajuda a compreender melhor como a aprendizagem pode ser um processo longo e em muitos momentos desconfortável.

Para passar de um estágio para o outro, precisamos sempre buscar descobrir e nos esforçar para praticar o quanto for necessário. Se parar de praticar, você fica paralisado no mesmo estágio, ou pode até regredir de estágio. Após ficar longe dos patins desde minha adolescência, resolvi patinar com o meu filho na orla. Achei que permanecia no 4º estágio, quando na verdade regredi para o 3º. Resultado: caí de cara no asfalto enquanto queria mostrar que ainda sabia andar de costas (tenho a foto do meu rosto todo ralado, mas fiquei com vergonha de publicar).

Apesar de me considerar fluente em inglês, quando vou conversar após muito tempo sem praticar, percebo que a velocidade da minha fala diminui bastante e preciso me concentrar para não falar as palavras com a pronúncia errada.

Mesmo quando você já está no 4º estágio, podem aparecer novos aspectos da habilidade nos quais temos que passar por todos os estágio desde o começo. Para o Marquinho, pode ser uma manobra nova. Para mim, pode ser conversar em inglês sobre um assunto que não domino muito e que é cheio de um jargão próprio, como engenharia naval por exemplo.

Isso foi útil para você? Eu adoraria saber sua opinião sobre este artigo. Deixe um comentário abaixo sobre o que você mais gostou, ou sobre alguma informação extra que deseja compartilhar.

 

Fontes:

* Este e todas as outras frases em itálico são citações diretas da Gordon Training International.

 

8 Responses to 4 Estágios da Competência em Idiomas

  1. Luiz Carlos B. Mathias

    Muito útil o artigo excelente.De que Eu mais gostei? Gostei de todos os estágios. Estou tentando aprender o idioma inglês e nem sabia que existia estes estágios. Vivendo e aprendendo. Sucessos para o site Aprender Línguas.

  2. LUIZ CARLOS DO NASCIMENTO

    Eu sempre tive vontade de aprender algum idioma. Venho pesquisando o melhor idioma para um iniciante de 60 anos. Faço pesquisa até hoje para saber o caminho inicial para começar. Estou com muita vontade de aprender idioma mas necessito de ajuda para o pontapé inicial.Os estágios da competência deu uma clareada mas fiquei com pouco de duvida.
    Hoje estou com duvida entre espanhol e inglês. Qual idioma certo para um inciante de 60 anos que tem vontade de aprender um idioma?
    Eu sou despachante aduaneiro atuando 40 anos na área de comercio exterior. Trabalhei empresas grandes como PHILIPS, GILETE,HONDA, SONY mas nunca consegui cargo como supervisor, chefe de setor certamente por causa do Inglês. Continuo na mesma área.Quero aprender um idioma para mostrar para mim mesmo que posso e quem sabe um viajar ou até mesmo ajudar na minha área de trabalho.

    • Olá Luiz, tudo bom?

      Você deve escolher o idioma independente da idade, decida qual será mais benéfico para você. Pelo seu trabalho creio que seja o inglês.

      Qualquer idioma pode ser aprendido, baste se dedicar e praticar bastante.

      Aos poucos estou publicando dicas para melhorar os estudos, então volte sempre para conferir. Pretendo escrever um livro onde dou todos os passos para aprender um idioma, mas isso ainda vai levar um tempo.
      Caso você queira dicas de materiais de estudo, segue a baixo (obs.: use esse materiais um por vez, só passe para o seguinte quando estiver confortável com o anterior):

      Duolingo para praticar a leitura e escrita (é grátis).
      – Eu gosto muito do método do Assimil. A versão para inglês é o “O Novo Inglês Sem Custo”
      – Na minha página “Connect with English: Curso de Inglês Online”, tem links para todos os episódios deste seriado da Learner.org direcionado para ensinar ingles, os atores falam bem pausadamente e vai melhorar muito a tua compreensão auditiva
      – Ou assista ao seriado Extr@, que tem um inglês bem fácil de compreender.
      – Assista ao jornal da CNN.
      – Assista filmes/seriados em inglês (com legendas em inglês se disponível).
      – Alguns Podcasts que podem ser do teu interesse:
      http://www.newsinslowenglish.com
      http://www.eslpod.com/website/index_new.html
      – No Itunes tem uma parte de Podcasts que tu encontras um monte de cursos de línguas. Veja se tu gostas de alguma delas.
      – Finalmente, a melhor maneira de praticar é conversando com nativos na lingua, eles podem ser encontrados no site: http://www.italki.com/

      Me diga se ajudou!

      Um abraço e boa sorte

  3. Oi, Marcos,

    Também na faixa dos 60,estudei idiomas (inglês, alemão e francês) sempre até o nível médio, quando a coisa ficava difícil desistia. Estudar um idioma e abandoná-lo é o caminho para o esquecimento, estou retomando o contato com os idiomas e os seus artigos são bons e estimulantes nos ajudando com as questões teóricas da aprendizagem e dando dicas de sites onde encontrar material de estudo. para inglês um site que eu gosto muito é o BBC Learning English.
    Abraços e boa sorte com os patins.

    • Olá Tânia,

      Obrigado pelo apoio, mas acho mais seguro eu deixar os patins de lado. hehehehehe
      Que bom que você está retornando a estudar idiomas e fico feliz de poder ajudar. BBC Learning English é uma ótima dica, tem muito material útil por lá.

      Obrigado e bons estudos!

  4. Marcos, Parabéns pelo blog e o empenho em aprender idiomas….também estou nessa jornada e é simplesmente viciante.Aprendi inglês desde pequeno até formar em cursinhos particulares, depois estudei espanhol e francês até atingir o nível C1…agora pretendo inicar alemão agora em janeiro…tudo por contra própia.

    Abraço

    • Olá José,

      Obrigado e parabéns pelos ótimos resultados! Com certeza é um ótimo vício que você adquiriu. hehehehe
      Logo logo, pretendo começar a estudar alemão também.

      Abraço e bons estudos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*