Home » Dicas, Métodos » Técnica Pomodoro – Usando um tomate para a aprender línguas

Técnica Pomodoro – Usando um tomate para a aprender línguas

 

Você deve estar se perguntando: Como é possível que um tomate pode ajudar os estudos? Será que contêm vitaminas que turbinam as capacidades do cérebro? Isto aqui vai virar um blog de receitas? Nada disso. O tomate que falo aqui não é aquele de comer, é aquele temporizador de cozinha que muitas vezes vem em formato desse fruto. É ele que pode fazer maravilhas para os seus estudos ao ser usado na Técnica Pomodoro.

 

Técnica Pomodoro

 

A Técnica Pomodoro foi inventada pelo italiano Francesco Cirillo no começo dos anos 1980, em que pomodoro significa tomate em italiano. Esta técnica é utilizada para fazer tarefas, em geral, com máximo de foco, aumentando assim a produtividade, eficiência e criatividade. Neste artigo, darei ênfase para a utilização para os estudos.

É indicada para quando você tem mais de 30 minutos de tempo disponível e pretende estudar algo que exija muita concentração para entender, como gramática, escrita correta, compreensão de novos vocabulários, textos complicados, etc.

 

A Técnica Pomodoro

A técnica é bem simples, consistindo em você limitar o tempo de estudo e tempo de descanso. Tão simples que o inventor sugere efetivamente o uso do temporizador de cozinha. Seguem abaixo os passos a serem seguidos.

 

1º – Tempo Focado

Programe 25 minutos no temporizador e estude de forma focada. Para maximizar a concentração, é importante que você afaste qualquer coisa que possa ser fonte de distrações. Desligue (ou silencie) os aparelhos eletrônicos, arrume um ligar bem quieto, coloque um aviso de “não perturbe” na porta, etc.

Assim que ouvir o alarme dos 25 minutos, pare imediatamente.

 

2º – Tempo Relaxado

Programe 5 minutos, relaxe e faça algo que não exija muita concentração. É um bom momento de descontrair e fazer algo agradável, como, navegar no Facebook sem culpa, tomar um café, comer um chocolate, rir de alguma piada no WhatsApp, ouvir uma música, etc.

Passando os 5 minutos, você volta a estudar de onde parou por mais 25 minutos.

 

3º – Repetir

Você deve repetir o processo até acabar o tempo disponível para os estudos. É aconselhável, que após 4 tempos focados, você deve fazer tempo relaxado de 20 minutos.

 

Por que esta técnica funciona?

O cérebro não consegue ficar focado por muito tempo, então 25 minutos é mais ou menos o tempo em que você consegue manter o foco. É mais fácil ficar concentrado sabendo que é só por pequeno período de tempo.

Muitos pensam que o tempo de relaxamento é somente para descansar um pouco o cérebro, recarregar as energias para retornar às atividades. Não é só isso! Muito da aprendizagem acontece neste pequeno período.

A técnica pomodoro faz o nosso cérebro alternar entre dois modos de pensamentos muito diferentes: Modos Focado e Difuso.

 

Modo Focado

No tempo focado da técnica pomodoro, o nosso cérebro está neste modo. Você encontra-se concentrado em algo que você quer aprender ou entender. É como se você estivesse super focado em uma área do cérebro para onde você quer depositar informações ou entender algo novo. Porém, este modo tem um problema: ele não consegue manusear muitas informações ao mesmo tempo, dificultando quando você quer aprender algo muito complexo.

Usando uma lanterna como analogia: é como se a lanterna estivesse bem focada, permitindo ver algo específico com muitos detalhes, mas não permitindo enxergar a visão ampla do todo. É o modo adequado para você absorver informações novas.

 

Modo Difuso

Este é o modo do tempo relaxado.

No modo difuso é quando os cérebro está descontraído. Neste momento, o nosso subconsciente começa a trabalhar. Informações são internalizadas e associações entre informações antigas e novas são criadas. Assim, quando você voltar a se concentrar você terá as ideias mais organizadas e maior facilidade para entender o assunto.

Voltando à analogia da lanterna, é como se você aumentasse a área de foco da lanterna, assim a claridade de um ponto específico diminui; por outro lado, você ilumina uma área bem maior possibilitando uma visão mais abrangente do conjunto todo e passando a entender as relações existentes entre um ponto com outro, mesmo que estejam em áreas distantes.

Você já deve ter percebido que muitas das vezes em que surge uma grande ideia são em momentos em que você nem sequer estava pensando no assunto. Pode ter sido tomando banho no chuveiro, dirigindo, passeando, ou até relaxando debaixo de um macieira (Isaac Newton que o diga). Era o modo difuso em ação.

 

Concluindo

A técnica pomodoro é simples e traz grandes ganhos para os estudos usando um tradicional temporizador. Mas como vivemos em um mundo rodeado de tecnologias, existem vários programas de computador ou apps de celular para substituir o tomate da cozinha. Você pode configurar os tempos de foco e relaxamento da forma que achar melhor, guardar registros de quantas sessões foram feitas para controle de progresso, entre outras funções. Para aumentar ainda mais a concentração, muitos destes programas/aplicativos restringem as notificações do aparelho e/ou bloqueiam a internet para evitar distrações.

Isso foi útil para você? Eu adoraria saber sua opinião sobre este artigo. Deixe um comentário abaixo sobre o que você mais gostou, ou sobre alguma dica extra que você deseja compartilhar.

 

2 Responses to Técnica Pomodoro – Usando um tomate para a aprender línguas

  1. Eu achei muito interessante essa técnica e pretendo aplicada. Pois penso que posso ter dificuldades para começa a estudar o idioma frances.Em 1 ano preciso aprender moro na France e não sei nada desse idioma,meu esposo não tem paciência de ensinar.

    • Olá Girlene,

      Dificuldades sempre existirão. Que graça teria se tudo fosse fácil?

      Você está no ambiente ideal para aprender francês, pois o idioma está por todo lado. Tenho umas dicas para você.
      – Compre o curso Assimil, é muito bom, deve ser fácil de encontrar por aí, pois a empresa do livro é francesa. Eu falo sobre no meu artigo Método Assimil
      – Se você já souber inglês, tem a opção de usar o Pimsleur, que é muito aconselhável para quem está começando, é caro mas vale muito a pena. Também escrevi um artigo Método Pimsleur
      – Tem o Duolingo que é grátis
      – Quando estiver em um nível melhor, assista aos seriados Extr@ e French in Action
      – Tente conversar ao máximo que puder, mesmo que você saiba somente o básico
      – Quando tiver um nível mais intermediário, recomendo visitar a página Français Authentique, que tem bastantes vídeos para você ouvir o francês falado mais pausadamente, fácil de entender.
      – Continue conversando o máximo que puder

      Abraço e bons estudos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*