Home » Curiosidades, Dicas, Métodos » Princípio de Pareto

Princípio de Pareto

 

Para aprender rápido um idioma, não adianta estar comprometido a trabalhar duro e a estudar por horas a fio todos os dias. Se quer atingir resultados extraordinários, você deve estudar com eficiência.

Eficiência é escolher os melhores recursos possíveis, buscando o melhor resultado com o menor esforço. Para aprender a ser eficiente no estudo de idiomas, é importante conhecer um conceito fundamental usado em várias áreas de atuação: o Princípio de Pareto.

 

Regra 80/20

 

A Regra 80/20

O Princípio de Pareto também é conhecido como a Regra 80/20, pois diz:

20% dos esforços geram 80% dos resultados

Em outras palavras: os resultados não são influenciados pelos esforços de forma homogênea. Na verdade, uma pequena quantidade é responsável pela maior parte do resultado que se quer obter.

Em 1906, o economista italiano Vilfredo Pareto, publicou um estudo que afirmava que 20% da população da Itália concentrava 80% da riqueza do país. Nos anos 1940, o consultor em gerência de qualidade, Joseph M. Juran, expandiu a idéia para a esfera organizacional e a batizou de Princípio de Pareto.

Desde então, este princípio de análise se estendeu por diversas áreas de estudo e pode ser usado até no nosso dia-a-dia. Veja alguns exemplos:

  • 80% das vendas são geradas por 20% dos vendedores;
  • 80% dos lucros são gerados por 20% dos produtos;
  • 20% dos jogadores são responsáveis por 80% das vitórias nos jogos;
  • 20% dos funcionários são responsáveis por 80% das faltas no trabalho;
  • 20% dos meus artigos geram 80% das visitas ao meu blog;
  • 80% dos likes em suas postagens no Facebook vem de 20% de seus amigos;
  • 80% de suas ligações são feitas para 20% dos contatos existentes no telefone.

 

Uma vez que você compreende o Princípio de Pareto, passará a vê-lo em todos os lugares. Basta prestar atenção em sua rotina diária, que você encontrará vários exemplos onde a Regra 80/20 se aplica.

É claro que essa relação não é fechada, pode variar para 75/25, 90/10, ou tanto faz. O importante é entender que:

  1. Cada uma de nossas ações têm resultados diferentes
  2. Poucas atividades (~20%) são responsáveis pela maioria dos resultados (~80%)
  3. Concentrando-nos em atividades cruciais, aumentamos a nossa eficiência

 

Princípio de Pareto para Aprender Línguas

A essa altura, você deve estar se perguntando:

Como faço para aplicar a Regra 80/20 para aprender línguas?

Isso vai depender muito do objetivo que você quer atingir com o idioma. Os seus 20% podem ser diferentes se é para usar a língua em uma viagem de turismo ou de trabalho; se o seu interesse é maior na conversação casual do dia-a-dia ou para ler obras literárias.

Vou exemplificar aqui como eu faço para encontrar os meus 20%, sendo que o meu foco é para aprender conversação do dia-a-dia. Para isso, vou separar os estudos em 3 áreas: frases, vocabulário e gramática.

 

1) Frases

Existem frases muito comuns que são usadas praticamente todos os dias pelos nativos da língua ou fazem parte de quase todas as conversações. Você precisa saber o básico para ser capaz de ter conversas curtas e não “morrer de fome” no estrangeiro.

Logo no início dos seus estudos, você precisa aprender a cumprimentar pessoas, apresentar-se, pedir informações, fazer compras, etc. Acho que já dá para ter uma ideia, que essas frases fazem parte dos 20% das encontradas em 80% das conversas.

Essas frases são muito fáceis de encontrar, pois existem vários livros de frases básicas nas livrarias para todo idioma. O melhor é que costumam ser baratos. Se você quer uma indicação, eu gosto da coleção Lonely Planet – Guia de Conversação, que possui edições brasileiras para os idiomas inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e chinês (mandarim); e para quem já sabe inglês, se estende para muitos mais línguas.

Se você não quer gastar nada, seguem alguns sites gratuitos com frases básicas:

  • OmniglotSite que possui frases úteis para uma infinidade de línguas, a maioria acompanhadas de gravações.
  • BBC LanguagesSite da BBC que possui frases essenciais para 40 idiomas.

 

2) Vocabulário

Quando éramos pequenos e ainda estávamos aprendendo a falar, você consegue imaginar os nossos pais/professores querendo nos ensinar palavras como oftalmologia, ostracismo, degustação, engenharia, migração, ou outra difícil de explicar?

É claro que não.

Apesar de todos quererem que as crianças aprendam o maior número de palavras possíveis, é lógico que é preciso dar uma prioridade para aquelas que são mais relevantes e podem ser usadas imediatamente como mamãe, papai, comida, brincar, etc.

O Oxford English Dictionary (Dicionário de Inglês de Oxford) tem registro de mais de 170 mil palavras no atual uso da língua inglesa. Seria um absurdo querer aprender todas. Nem os nativos altamente letrados sabem sequer a metade. Na verdade, segundo uma postagem do Prof. Arguelles, o vocabulário de um nativo com educação superior constitui de 10 mil palavras, enquanto o sem educação superior cai para 5 mil.

Imagine os idiomas como quebra-cabeças e cada palavra, uma pequena peça. Quando lemos um texto em que entendemos 80% das palavras apresentadas, é como se no quebra-cabeças você já tivesse formado as bordas e os principais elementos gráficos. Desta forma, ainda não é possível ver a imagem por completo, mas já dá para ter uma boa noção do todo. É assim mesmo que funciona na leitura de um texto no idioma que você está aprendendo, sabendo 80% das palavras apresentadas, você já tem uma boa noção do que se trata e pode entender o que falta através do contexto. Para chegar neste nível, basta se esforçar para aprender 20% do vocabulário de alguém totalmente fluente.

Quantas palavras constituem os 20% das palavras necessárias para entender 80% do idioma?

Uma pesquisa da Victoria University of Wellington, onde foram feitos estudos sobre palavras de alta frequência, diz que sabendo as 2 mil mais frequentes são equivalentes a saber 80% de todos os vocábulos presentes em um texto ou conversa.

Onde encontro as 2 mil palavras mais frequentes do idioma que quero aprender?

 

3) Gramática

Se algum estrangeiro lhe pedisse para ensinar gramática da língua portuguesa, tenho certeza que você não perderia tempo ensinando o pronome pessoal “vós”; muito menos as conjugações verbais no pretérito mais-que-perfeito. Isso é porque são raramente usadas no dia-a-dia fora das salas de aula (pelo menos, aqui no Brasil).

O estudo formal da gramática é algo que eu evito fortemente, pois defendo que deve ser feito somente quando já tiver em um nível intermediário para avançado. Quem não se lembra, nos tempos de colégio, daquelas aulas de inglês focadas em decorar as conjugações do verbo to be? Será que valeu a pena? Não conheço ninguém que aprendeu a falar inglês graças à escola.

Prefiro aprender a gramática de uma forma mais natural, assim como as crianças fazem. Elas fazem uso da gramática de maneira intuitiva, só depois de muitos anos elas vão descobrir na escola porque falam daquele jeito. Na medida em que você tem contato com o idioma, observando como as frases são construídas, lendo textos e ouvindo a língua falada, você vai aprendendo a gramática de forma informal por assimilação.

O Tim Ferriss desenvolveu um ótimo atalho para quem quer aprender a assimilar a gramática básica de uma língua de forma acelerada. Consiste na aprendizagem de um conjunto de poucas frases.

 

  1. A maçã é vermelha.
  2. Essa é a maçã do João.
  3. Eu dou ao João a maçã.
  4. Nós damos a ele a maçã.
  5. Ele a dá para o João.
  6. Ela a dá a ele.
  7. A maçã é vermelha?
  8. As maçãs são vermelhas.
  9. Eu devo dá-la a ele.
  10. Eu quero dá-la a ela.
  11. Eu vou saber amanhã.
  12. Eu comi a maçã.
  13. Eu não posso comer a maçã.

 

Estas frases lhe dão uma boa noção de importantes estruturas gramaticais (objeto direto, indireto, substantivos, pronomes possessivos, etc.). Basta pedir para que alguém traduza para a língua que você quer aprender. Com certeza a gramática aprendida aqui está dentro dos 20% que queremos.

 

Concluindo

Espero que você tenha percebido como o Princípio de Pareto é importante e poderoso. Coloque a Regra 80/20 em suas estratégias de estudos, que com certeza você será cada vez mais eficiente.

Use e abuse, mas não pense que agora pode relaxar e que a fluência virá facilmente. Uma vez atingidos os 20% que correspondem ao 80% da fluência, não pare por aí. É importante que você se mantenha dedicado e se esforçando para aprender o resto, pois quanto mais, melhor.

 

Você gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos usando os botões das redes sociais disponíveis e deixe um comentário. Fale-me sobre o que mais gostou, se surgiu alguma dúvida ou deixe um dica que possa ajudar ainda mais.

One Response to Princípio de Pareto

  1. Oh Marcio está sendo um grande deleite estar lendo os seus artigos. Frase e mais frases mais usadas e retiradas de textos reais conversas transcritas reais é o que mais uso no 80/20 e também agora como pronunciar corretamente essas frases.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*